O Movimento Quilombola, as Escolas do Território Quilombola Águas do Velho Chico e a Escola Bem-Te-Vi, realizaram grande evento em alusão ao dia da “Consciência Negra” com o Tema: História, Cultura e Diversidade.

Para o povo quilombola essa é a data mais importante do ano. Durante todo mês de novembro foi trabalhado nas escolas o “Projeto Novembro Negro”. E hoje aconteceu a “Culminância do Projeto” aonde foi apresentado tudo que foi trabalhado. O evento aconteceu na Comunidade Umburana na Escola Quilombola Águas do Velho Chico. Durante todo o dia aconteceram varias atividades e muitas Manifestações Culturais, Apresentações, Exposições, Danças, Palestras, Teatro e outros.

O Evento foi promovido por todas as escolas do território quilombola e a Escola Bem-Te-Vi do Projeto Brígida que tem uma extensão do Ensino Médio funcionando neste Território Quilombola. “Podemos dizer que foi um grande evento, durante todo dia recebemos vários visitantes, como o Professor da UNIVASF que fez uma palestra sobre o Meio Ambiente “Preservação do Rio São Francisco” também participou do evento ‘Jaílson’ Gerente da Educação do Campo na Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, o líder quilombola ‘Adalmir’ da Comissão Quilombola do estado que ministrou uma palestra sobre “Políticas Afirmativas e Conjuntura Atual do Movimento Negro”, recebemos tambem representantes do poder publico do município, gestores de escolas do município, alunos e professores da Escola Indígena da “Aldeia Truka de Orocó” e vários outros públicos de toda região visitou nosso território”, disse uma das participantes.

A Escola Quilombola Águas do Velho Chico do Quilombo Umburana trabalhou as seguintes Temáticas: Literaturas Afro, Cultura do Território, Agricultura, Comidas Típicas, Artesanatos e o Rio São Francisco. Já Escola Municipal São Judas Tadeu do Quilombo Caatiguinha apresentou os versos e poemas da Literatura Infantil e a cultura da Comunidade, como: o Pífano, oficina de percussão e a Dança Afro que é muito forte na comunidade. A Escola Municipal José Bonifácio do Quilombo Mata de São José fez uma brilhante participação em forma de Dramatização, Dança, Cordel e a Musica, apresentaram ao publico “Como tudo começou” inicio do Território Quilombola, os primeiros negros que se refugiaram na comunidade Mata onde foi criado o primeiro quilombo deste município. Já Comunidade Quilombola Vitorino junto com a Gestora Marta Alves, Educadores e alunos da Escola Municipal Antônio Leandro da Cruz se destacou falando e expondo em seu stand as “Manifestações Culturais”: (São Gonçalo, Penitentes, novenários e religiosidade). A Escola Bem-Te-Vi que também está presente no Território Quilombola por meio de extensão (turmas do ensino médio regular e as turmas da EJA Campo) transformou seu stand no continente “Africano” onde foram expostos vários elementos da cultura africana, tais como: comidas típicas, dança, costumes, modo de ser e resistir. Em fim o povo se sentia na África ao visitar este stand, muito bom e bem organizado. Já a equipe da EJA Campo transformou seu stand em uma “Senzala” local que era visto como um “Calvário” para os negros que eram torturados muitas vezes até a morte. Foi tudo muito bem detalhado a equipe de coordenadores, professores e alunos da Escola Bem-Te-Vi e EJA Campo representou muito bem essa parte de nossa historia, onde os negros/quilombolas vem resistindo ate os dias atuais. Com esse trabalho foi possível reviver e conhecer melhor figuras e personalidades importantes da nossa historia, tais como Zumbi dos Palmares, Dandara dos Palmares, Tereza de Benguela, Nelson Mandela e outros mestres que foram e são importante dentro do nosso território que também foram homenageados nesse projeto.

Em fim o Povo Quilombola de Orocó que faz o Território Quilombola Águas do Velho Chico se sente fortalecido, vendo sua cultura e sua tradição cada vez mais viva, sendo trabalhada nas escolas, na roça em todos os lugares. Movimento Quilombola Águas do Velho Chico de Orocò-PE.